Saúde dos Olhos

Oclusão de veia da retina

Quando funcionando normalmente, as veias retinianas drenam o sangue da retina e retornam logo ao coração. Quando alguma dessas veias fica bloqueada, dizemos que ocorreu uma oclusão ou trombose venosa. Nesses casos, o fluxo de sangue fica inadequado na área afetada e, assim, as paredes da veia extravasam sangue e fluído na retina.

 

O problema, associado à dilatação e à tortuosidade venosa, é relativamente comum e caracterizado por hemorragias retinianas nos quatro quadrantes. Costuma ocorrer principalmente em indivíduos acima dos 50 anos, e em pessoas que possuam hipertensão arterial, alterações sanguíneas, doenças vasculares, hipertensão sistêmica e diabetes, assim como alterações oculares como o glaucoma primário de ângulo aberto.

 

A turvação visual é o principal sintoma da oclusão de veias retinianas, e ocorre devido ao extravasamento de fluído das veias na mácula, área responsável pela nossa visão central dos detalhes. O trabalho inadequado das veias retinianas também podem provocar o crescimento de vasinhos, passíveis de se romper e vazar fluído no vítreo (gel que fica dentro do olho) causando os floaters, pontinhos volantes que podem atrapalhar a visão.

 

O sintoma mais grave do problema é a dor ocular, resultado do aumento da pressão ocular devido à presença dos neovasos. Essa complicação é chamada de glaucoma neovascular e pode ser detectada por um exame que avalia a circulação da retina, a angiografia fluoresceínica. Um corante especial (fluoresceína) é injetado em uma veia do braço e fotos especiais são tiradas do fundo do olho.

 

Não há cura para a oclusão de veia retiniana, mas um tratamento com laser pode ser feito para amenizar o problema, prevenindo a hemorragia e o glaucoma neovascular.

 



VOLTAR